terça-feira, 26 de abril de 2011

O filme "Quase Dois Irmãos" traz polêmica na segunda sessão do Cineclube Roncador

O segundo longa metragem exibido no Cineclube Roncador desta quarta feira, dia 20, foi tão polêmico quanto o primeiro. A sessão, iniciada às 16:30h e finalizada às 18:20h, teve como mediadora a professora do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Rosana Sorbille que abriu o debate para os espectadores.

O professor da UFMT, Luiz Bitante, iniciou argumentando sobre a questão da Ditadura Militar e os presidiários políticos da época. Conta como nasceu o crime organizado e a junção do preso político com o preso "comum", como destaca Lúcia Murat, diretora do filme. Um dos colaboradores do projeto Cineclube Roncador, Hélio Ferreira Mendes Júnior afirma que no filme "Quase Dois Irmãos" é nítida a diferença entre o jovem de hoje, com o jovem na década de 60 e que, antes de mais nada, trata-se de uma história sobre conflitos entre gerações.

Para o professor Magno Silvestri, "Quase Dois Irmãos" continua a discussão da sessão inaugural, em que foi exibido o longa "Araguaya". A discussão acerca da temática "Juventude" continuará com a próxima sessão em que será exibido o filme "Última Parada 174". Confira

Abaixo, fotos da última sessão:





Fotos: Patrícia Kolling

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Crítica: Insolação traz uma produção artística e experimental ao cinema


Veterano na cena teatral, Felipe Hirsch, diretor da Sutil Companhia de Teatro, estreou no cinema com o filme Insolação. O enredo envolve poucos personagens que, como crianças ou adultos, vivenciam conflitos e dúvidas acerca de seus sentimentos.

As diversas histórias que ocorrem paralelas umas às outras têm como enlaçamento comum encontros que acontecem em uma lanchonete falida da cidade. No local, um velho com tendências poéticas, interpretado por Paulo José, divaga sobre a vida, questionando as pessoas ao seu redor sobre suas realidades. Veja íntegra.

Foto: Divulgação.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Inscrições abertas para o III Festival Nacional de Teatro de Goiânia


Foto: /divirta-ce.blogspot.com

A Cia. Teatral Oops! informa que as inscrições para o III Festival Nacional de Teatro de Goiânia: "O Teatro Sob Pressão" estão abertas até 10 de junho de 2011.
O Festival, com duração de 8 dias, conta com 3 mostras: Mostra Competitiva (espetáculos que concorrerão a prêmios), Mostra Paralela (grupos convidados) e o Cuca Mix (mostra competitiva de cenas curtas teatrais). O evento acontece entre os dias 17 a 24 de Julho. Para mais informações consulte o regulamento da Mostra Competitiva.

sábado, 16 de abril de 2011

Nova sessão do Cineclube apresenta "Quase Dois Irmãos"



Nesta quarta, dia 20, os cineclubistas do Médio Araguaia voltam a se encontrar para mais uma sessão. O filme escolhido para exibição e debate é "Quase dois irmãos", de Lúcia Murat (2004). A entrada é franca.

"Quase Dois Irmãos"

Lançamento: 2005 (Brasil)
Direção: Lúcia Murat
Atores: Werner Shünemann,
Antônio Pompeo,
Maria Flor,
Fernando Alves Pinto.
Duração: 102 min
Gênero: Drama



Sinopse

Miguel é um Senador da República que visita seu amigo de infância Jorge, que se tornou um poderoso traficante de drogas do Rio de Janeiro, para lhe propôr um projeto social nas favelas. Apesar de suas origens diferentes eles se tornaram amigos nos anos 50, pois o pai de Miguel tinha paixão pela cultura negra e o pai de Jorge era compositor de sambas. Nos anos 70 eles se encontram novamente, na prisão de Ilha Grande. Ali as diferenças raciais eram mais evidentes: enquanto a maior parte dos prisioneiros brancos estava lá por motivos políticos, a maioria dos prisioneiros negros era de criminosos comuns.


Premiações:

Festival de Mar del Plata 2005 (Argentina:
Venceu na categoria de Melhor Filme Ibero-americano.

Festival do Rio de Janeiro:
Venceu nas categorias de Melhor Diretor e Melhor Ator (Flávio Bauraqui).

Festival de Cinema Brasileiro de Paris (França:
Ganhou o prêmio de Melhor Filme - Júri Popular.

Quer saber mais? Veja o Trailler abaixo:

video

AMOR E REVOLUÇÃO: Militares da reserva querem tirar do ar novela do SBT sobre ditadura


Um abaixo-assinado criado por militares da reserva da Aeronáutica, disponível no site militares.com.br , pede a retirada do ar de "Amor e revolução", novela escrita por Tiago Santiago e exibida no SBT. O autor da mobilização, José Luiz Dalla Vecchia, que mora em Belo Horizonte, alega que o folhetim pode colocar a população contra as Forças Armadas. A trama gira em torno da ditadura militar (1964-1985) no país e retrata a perseguição política contra os militantes de esquerda da época.

Até agora, foram gravados e exbidos os depoimentos de Jarbas Passarinho, que foi ministro durante a ditadura, e do oficial de reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura, conhecido como Major Curió, um dos responsáveis pela repressão à Guerrilha do Araguaia, tema da última sessão do Cineclube Roncador.

Veja a íntegra da matéria de Rafaela Santos e Márcia Abos, publicada no site do jornal O Globo.

Foto: Divulgação / Elenco da novela Amor e revolução

sexta-feira, 15 de abril de 2011

O que é Cineclube?

Essa resposta é dada por vários cineclubistas em um documentário que busca conceituar a atividade e toda sua gama de relações com a sociedade.

Confira:

video

terça-feira, 12 de abril de 2011

Icumam abre inscrições para o 6º Curso de Cinema em Goiânia

Foto: www.icumam.com.br
O Icumam - Instituto de Cultura e Meio Ambiente, realiza entre os dias 02 e 20 de maio o 6º Curso de Cinema em Goiânia. O curso é gratuito e conta com oficinas de Direção de Arte, Direção de Fotografia e Prática de Montagem.
O Icumam vem realizando anualmente o "Goiânia Mostra Curtas", um dos maiores festivais de cinema de curta metragem do Brasil, além de desenvolver projetos voltados para a exibição de curtas e longas metragens.
As inscrições para o curso estão abertas até o dia 14/04 e o regulamento está disponível no site.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Primeira sessão do Cineclube Roncador promove debate sobre a guerrilha do Araguaia

A primeira sessão do Cineclube Roncador, realizada nesta quarta feira, dia 6, no Campus do Araguaia da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, contou com a presença de mais de 40 espectadores, incluindo professores da universidade, funcionários, alunos dos dois campi locais e pessoas da comunidade de Barra do Garças.

O longa metragem Araguaya - Conspiração do Silêncio gerou polêmica e debate sobre o tema, a guerrilha do Araguaia, assunto censurado na época pela ditadura militar. Entre outros, participaram do debate a professora de História Rosana Sorbille, do IFMT - Instituto Federal de Mato Grosso, e a professora de GeografIa Antonia Ieda Delfino, da UFMT.

O Coordenador do projeto, professor Magno Silvestri, afirmou que o evento "superou as expectativas dos organizadores, incentivando a equipe a dar seguimento às atividades do cineclube". Na próxima quarta feira, dia 13, a organização se reuni para definir o calendário de apresentações para o primeiro semestre. Para sugerir filmes e colaborar com o projeto, envie-nos email para cinecluberoncador@gmail.com

Logo abaixo algumas fotos do evento!








Imagens: Patrícia Kolling

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sessão inaugural exibirá o filme "Araguaya - a conspiração do silêncio"

O Cineclube Roncador estreia nesta quarta com o filme "Araguaya - a conspiração do silêncio".

Local: UFMT - Barra do Garças (Campus 2).

Quando: Quarta-feira, 6 de abril, às 16h.

Entrada gratuita.

Título original: (Araguaya - a conspiração do silêncio)
Lançamento: 2004 (Brasil)
Direção: Ronaldo Duque
Atores: Norton Nascimento, Françoise Forton, Danton Mello, Narcisa Leão.
Duração: 105 min
Gênero: Drama

Premiado do 32º Festival de Gramado - Cinema Brasileiro e Latino com Prêmio Especial Do Júri, 2004.


Sinopse

O exército brasileiro no auge da ideologia da segurança nacional, um partido de esquerda dissidente, militantes aguerridos (a maioria deles ainda jovens e inexperientes), inocentes camponeses e uma região onde a ambição e a miséria disputavam lugar palmo a palmo. Esse é o cenário de Conspiração do Silêncio, longa metragem de ficção baseado em extensa pesquisa empreendida pelo realizador e roteirista Ronaldo Duque sobre a Guerrilha do Araguaia, um dos episódios mais importantes de nossa história contemporânea.

O filme é narrado a partir da personagem do Padre Chico, um religioso francês que chegou à região no início dos anos 60. A profunda identidade de Padre Chico com as pessoas da região, associada ao seu sentimento religioso e dúvidas existenciais, permitem abordar esse momento histórico com grande liberdade, evitando o risco de produzir uma "Versão Oficial" da história. Assim, "Araguaya, A Conspiração do Silêncio" foge dos clichês do gênero oferecendo ao espectador uma visão original sobre uma história instigante e real.

Mostra "Sexo e poder" começa hoje em Goiânia

A Universidade Federal de Goiás - UFG apresenta, de 4 a 20 de abril, mostra "Sexo e poder", com direito a deb ate nos dias 6 e 13 , conforme programação abaixo. Via Blog do Lizandro.

domingo, 3 de abril de 2011

Cineclube Coxiponés é parceiro do Cine Roncador


Por Moacir Francisco Santa'ana Barros *

O Cineclube Coxiponés é o mais antigo de Mato Grosso, atuando como divulgador da cultura cinematográfica e do audiovisual mundial e brasileiro, desde 1977. Ele foi criado na Universidade Federal de Mato Grosso com o objetivo de formar público criticamente qualificado e ambiente para discussão sobre a história e a atualidade contemporänea, através da sétima arte. O Coxiponés desempenha um importante papel para o fortalecimento da cultura cinematográfica no Estado, através da exibição de filmes de reconhecida qualidade artística.

Na primeira fase de sua criação dedicou-se a apresentar filmes em película da França, Canadá, Alemanha entre outras nacionalidades. Na década de 1980, consolidou-se como espaço de difusão e discussão de filmes. As atividades ampliaram-se, firmando parcerias para a exibição da cinematografia nacional. Após a sua consolidação junto ao público, o Coxiponés passou a atuar também como fomentador de qualificação profissional, através de oficinas especializadas que permitiram o surgimento de cineastas e videomakers no Estado.

Há mais de trinta anos cumpre também sua função social de levar o conhecimento cinematográfico ao público por meio de palestras, seminários e discussões sobre a sétima arte. Nessas três décadas de atuação, o Coxiponés também firmou-se como parceiro dos realizadores brasileiros, dando apoio a filmes como “O Canto da Terra”, de Paulo Rufino; “Mário”, de Hermano Penna; “Três Chapadas e um Balão”, de Flávio Frederico; “Cronicamente Inviável”, de Sergio Bianchi e na coordenação do Doc TV IV Mato Grosso – programa de fomento a produção de documentários veiculados pela TV Universidade (UFMT) e demais TVs públicas brasileiras.

A partir de 2002, o Coxiponés trilhou um novo caminho, através da Mostra Nacional de Vídeo Universitário. Uma oportunidade da comunidade acadêmica e o público em geral conhecer o que de melhor se produz em audiovisual dentro das universidades públicas e privadas brasileiras. A Mostra Universitária também dá oportunidade aos produtores independentes de todo o país mostrarem o seu trabalho, revelando a pluralidade de olhares sobre a nossa cultura. Em 2009, iniciou uma série de oficinas sobre cineclubismo nos campi do interior – Araguaia, Sinop e Rondonópolis – para formar e estimular novos exibidores alternativos em Mato Grosso, estado carente de salas de cinema que exibam a produção nacional de filmes.

A atuação do Coxiponés vai além da exibição e discussão de filmes. Ele é também local de pesquisa acadêmica, através de seu acervo de cerca de mil obras, hoje em processo de digitalização. O Coxiponés é uma supervisão ligada a Coordenação de Cultura da UFMT, cuja sede localiza-se no Centro Cultural do campus de Cuiabá. Possui um auditório com capacidade para 250 espectadores, com sessões semanais, às quintas-feiras. Realiza também a sessão Curta ao Sábado, dedicada ao cinema brasileiro, num projeto desenvolvido com o apoio da Adufmat e patrocínio do Cine Mais Cultura, do Ministério da Cultura. Pouco tempo atrás, reformou um de seus espaços físicos para abrigar a sala Névio Lotufo, com 40 lugares, que serve aos professores da UFMT, por agendamento, para aulas com audiovisual dos cursos de graduação e pós-graduação.

* Moacir é professor de Comunicação da UFMT de Cuiabá e supervisor do Cineclube Coxiponés. Foi um dos incentivadores da criação do Cineclube Roncador.

Nas fotos, Moacir com integrantes da Oficina de Cineclubismo realizada em setembro de 2009 no Campus do Araguaia da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, em Barra do Garças.

sábado, 2 de abril de 2011

Editorial: Estreia o Cineclube Universitário Roncador


O desejo de um grupo de professores e universitários do Campus Universitário do Araguaia da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT  por um espaço onde se possa vivenciar experiências cinematográficas foi a motivação inicial para se criar um cineclube em Barra do Garças (MT).

Para bem representar essa unidade de pessoas de diversos lugares e  com diferentes formações acadêmicas, o nome do cineclube faz menção à Serra do Roncador, importante cadeia rochosa que acompanha a região conhecida como Vale do Araguaia até o norte do Estado de Mato Grosso, ao lado da divisa com Goiás, que tem o Rio Araguaia como divisor.

Assim surgiu o Cineclube Universitário Roncador (Cine Roncador) , que tem como objetivo fortalecer as atividades culturais no âmbito da UFMT (Campus Universitário Araguaia), além de conectar-se com a comunidade de Barra do Garças e Pontal do Araguaia (MT) e Araguarças (GO) e demais municípios do Médio Araguaia na Região Centro-Oeste.

O Cineclube constitui organização coletiva e participativa de todos os envolvidos: coordenadores, colaboradores, bolsistas e espectadores da comunidade. As sessões de filmes longa e curta metragem, animações, documentários são acompanhadas de debates. Entre outras ações, o registro da produção material de divulgação, resenhas, levantamento histórico do cinema na região e a oferta de oficinas de produção audiovisual. O cineclube Roncador, de caráter democrático, realiza reuniões periódicas para elaboração das temáticas abordadas em cada ciclo de sessões, possibilitando o aproveitamento de múltiplas áreas do conhecimento, para fins didáticos, de lazer e estudo.

A desvinculação com a programação de salas comerciais tem como objetivo criar cultura crítica do cinema, produção, direção do audiovisual, podendo assim oferecer alternativas de modelos de cinema e variedades temáticas. O cinceclube é gratuíto e de livre acesso a qualquer participante, espectador e debatedor.

Depois de reuniões, planos e parcerias, tudo está pronto para estreia nesta quarta, 6 de abril de 2011.  Não deixem de seguir o Cineclube Roncador também no Twitter (@cineroncador) e no Facebook.